• Connections
  • facebook twitter

Poeta Jardim

user page info Brazil

Biography

Me faço poeta para libertar as emoções aprisionadas nas masmorras da alma, refugiar-me dos meus demônios, contar as mentiras que me tornam verdadeiro. O jardim é uma tentativa humana de organizar a natureza e também uma alternativa para organizar e conciliar a metamorfose das emoções. Mas Jardim também é aquele que me habita, Um pedaço de mim que se aventura pelos portais onde nunca me aventurei. Meu maior patrimônio são os meus versos, com eles construo meu jardim.

Who Poeta Jardim is following

View all (9)

Who is following Poeta Jardim

Ebooks Written by Poeta Jardim

Comments on Poeta Jardim profile

Olá jardim. Muito bom te ver aqui no Widbook. Suas poesias são sempre muito intensas, atuais e lindas. Tocam fundo na gente. Amei, como sempre. Vou compartilhar no meu blog e depois terminarei o capítulo. "...Todo ser que se move é uma ilha," Lindo demais. Abraços.
September 10, 2014 at 15:40
Olá Jardim! Gostaria de convidar para a leitura de meu primeiro livro da serie: Gregório! Já se encontra disponível por completo! Adicionarei seu livro para ler Breve! Um grande abraço! Alex
September 9, 2014 at 15:40
Quem conhece o Sergio Almeida e procura lógica entre o que escreve e o que pensa, desista, pois será uma tarefa inglória e, certamente, acabará sucumbindo sem respostas. Quem tiver o desejo de identificar o que move o Sergio e buscar alguma coerência ou alguma razão no que escreve, esqueça, pois encontrará tantas respostas que vão sobrar dúvidas. O que escreve habita entre a dúvida e o momento da decisão. É neste pequeno espaço do pensamento, do inconfessável que Sergio brinca com as palavras e faz o leitor tropeçar nos pensamentos subterrâneos. O poeta desfila “pessoas esfinges” que trazem sinais do tempo, das emoções e das forças que movem os seres. A busca pelo prazer ou simplesmente pelo deserto do dia seguinte. Sergio busca nas vísceras dos seres que habitam o seu poema os elementos do mundo contemporâneo. E, ao contrário do processo de mumificação dos faraós, onde o cérebro era retirado pelo nariz, Sergio retira os versos. Prefere a frieza do vazio para mostrar o avesso. Leia e tente decifrar como Édipo desvendou os segredos da esfinge. No entanto tenha cuidado para não ser devorado pelas FILHAS DO SEGUNDO SEXO.
September 9, 2014 at 05:03